28 agosto 2007

Tamanha é a cobardia...

Há muito que gostaria de te dizer. Tanto que acabo por não ser capaz.
- Cobarde! - chamar-me-ias tu se o soubesses!
Mas é um facto.
Não sou capaz!

Saudade...

A música ouve-se imiscuída com o som das ondas do mar.
A praia é pequenina. Perdida no meio de uma arriba, como se fosse uma baía encantada onde se esconde o tesouro da paz e da calmia.
Peculiarmente estranho é o sentimento pela tua inexistência neste pequeno espaço em que me encontro e me espraio.
Tenho tantas saudades tuas! Tantas que não sei onde cabem.
Por onde andam os teus passos que não ecoam nos meus ouvidos?
Fazes-me falta!
Não creio que volte a ficar sem ti! Não mesmo.

No teu poema - Tuna

23 agosto 2007

Jeff Buckley- Hallelujah

U turn (Lili)

Lili,take another walk out of your fake world
please put all the drugs out of your hand
you'll see that you can breath without not back up
some much stuff you got to understand

for every step in any walk
any town of any thought
i'll be your guide

for every street of any scene
any place you've never been
i'll be your guide

lili,you know there's still a place for people like us
the same blood runs in every hand
you see its not the wings that makes the angel
just have to move the bats out of your head

for every step in any walk
any town of any thought
i'll be your guide

for every street of any scene
any place you've never been
i'll be your guide

lili,easy as a kiss we'll find an answer
put all your fears back in the shade
don't become a ghost without no colour
cause you're the best paint life ever made

Aaron

Lili aaron u-turn

19 agosto 2007

Foi bom rever-te...


Foi bom (re)estar contigo...
Foi bom (re)sentir-te...
Foi bom...
É! É bom.

15 agosto 2007

Todo o meu ser é um poço de merda que me consome, que fede a toda a sua volta, pois é rodeada de moscas que estou.

Peso Pesado Pesadelo

E tu avó?
O que aconteceu esta noite?
Porque trocámos nós as imagens tão morbidamente estranhas e assustadoras?
Que querias dizer-me que eu não sei?
Não te consegui entender!
Que sinal foi o teu?
Ajuda-me a compreender-te! Por favor!!! Por favor...

PORQUE SERÁ

QUE O MUNDO TODO

CONSPIRA CONTRA

MIM HOJE???

Se pudesse

agarrava numa picareta e furava o globo de um pólo a outro!

Insónias

Três matinais horas de desespero.
A insónia acordou-me com dores.
Quero fugir, mas não consigo.
Olho para tie o desespero grita-me "deixa estar"...

14 agosto 2007

Que mar!

Com as ondas

Uigrus amu aicíton euq oãn are otsopus ret odagehc! Uoriv odut od osseva... Odatluser euq?!?

O céu de hoje

Salpica-se de um lilás perfeito a abóbada azul celeste que nos cobre o globo.
Tão perfeito que o pontilhado dos salpicos nos encaminham para os traços da ilha que raramente se vê, como se de dois montinhos de areia se tratassem, perdido na imensidão de um verde azulado que se agita ao sabor da maré, um ver azulado que tão bem espelha o voo das nuvens a par e passo com a espuma que se teima em enrolar perto da costa!

12 agosto 2007

...

Porque será que me dóis hoje?

Será que custava doer só daqui a 3 dias???

Era tão mais fácil...

A tempestade que se aproxima


Elas aproximam-se!
Tão rapidamente que levam o céu e o mar a escurecer!
Mas um escuro tão bonito!...

O espelho

É real!
Existe mesmo
A esplendorosa miragem do espelho que existe entre o mar e o sol, num céu limpo, sem nuvens!
Lindo!

Meu sonho azul

Levei-o no meu sonho azul
Azul, Azul
Da cor do céu
Levei-o comigo
Sonhou um sonho
Da cor do meu
Deitados no leito da lua
Na frescura, que tremor...

Trocava a vida toda
Pela vida deste amor
Meu Sonho Azul

Levei-o no meu sonho azul
Azul, azul
Da cor do mar
Levei-o comigo
Sonhou um sonho
De apaixonar
Deitados na noite das ilhas
Na frescura, que tremor...

Trocava a vida toda
Pela vida deste amor
Meu Sonho Azul


Pedro Ayres Magalhães

O murmúrio

Por entre os grãos de areia, murmura um sopro de algo que não entendo!
Um murmúrio ao de leve, um sopro que me tenta dizer algo, mas sem se querer manifestar senão veladamente.
Tento entender a todo o custo, aquilo que o murmúrio me diz, mas em vão. Continuo sem entender! Como se uma parte do próprio murmúrio não quisesse ser entendida.
Com tudo isto, vou-me deixando levar pelos pezinhos de lã do tempo que me transportam nem eu sei para onde.

11 agosto 2007

Ode ao sol

Voltaste a aparecer!
Irmão dos meus dias felizes.
Companheiro dos dias repletos de luz,
Amigo das horas mortas
e desprovidas de sentido.
Presença assídua,
quando tudo grita por um Carpe diem

...

Ficas tão giro a dormir!

10 agosto 2007

Los peces

Um veleiro

Entre a neblina matinal tardia e invade-me a alma pelos poros epidérmicos já com uma tonalidade dourada.
A maresia, a areia e o sal reúnem-se numa perfeita harmonia, tão perfeita que me volta a invadir a alma nas trocas gasosas que se efectuam nos alvéolos dos meus pulmões vividos e sofridos outrora.
Está bonita a praia hoje. Muito bonita mesma.
Miro o mar e na imensidão do azul há um veleiro! Tão pequeno, tão pequeno ao meu campo de visão que quase o perco!
Olho outra vez... e lá está ele. Vai avançando para a esquerda, para sul!
Que bom que era rumar pelo mar fora, ao sabor das ondas e das marés...

07 agosto 2007

Tu...

As tuas palavras são como um elixir!
a tua paciência e a tua presença são a minha calma.
Alegro-me por te saber aí, por te saber ao meu lado, sempre pronto a estender-me a mão.
Amo-te muito! Muito mesmo! Tanto que não me imagino sem ti, nunca.
Quero-nos lado-a-lado em todos os momentos.
Não importa se chover ou se estiver sol! Quero-nos lá! SEMPRE!!!

01 agosto 2007

A caminho da colónia...